Seja pago por tudo o que você faz

Uma característica marcante do brasileiro é querer pechinchar, sempre. Sempre! Não importa se o preço está alto ou baixo. E quando você é especialista em alguma área, prestador de serviços ou comerciante, alguém sempre vem querendo diminuir seu preço ou querendo que você faça algo de graça. Às vezes até oferecem benefícios futuros, mas nada concreto. O Thiago Concer fala um pouco sobre isso neste vídeo:

O fato é que quando você presta algum serviço “de graça”, ou aguardando algum incerto benefício futuro, o seu serviço passa a ser menos valorizado do que deveria. Existe uma máxima que diz que “nada vale o que nada custa”. Ou seja, você diminui sua percepção de valor ao diminuir o custo final do que você faz, o que é péssimo.

Quando o escambo se faz necessário -substituindo a remuneração-, procure deixar muito claro o valor que você está agregando -apesar de abrir mão do custo. Quando seu produto ou serviço tem valor, o consumidor vai entender a definição do seu custo. Caso essa percepção não seja clara para seu potencial cliente, talvez ele não mereça ser atendido por você.

Nessa mesma linha de raciocínio o John Jantsch sugere algumas opções para oferecer seu produto sem um custo direto, mas sem diminuir o valor do que você faz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *