3

Livro: Sob o olhar de Deus – memórias de um cirurgião

Hans Killian foi um grande cirurgião alemão que pariticipou como consultor cirúrgico do 16º exército alemão durante a 2ª Guerra (de novo, a guerra!). Neste livro ele narra alguns episódios que marcaram sua carreira, todos eles envolvendo um caso de cirurgia, mas nunca tendo a cirurgia como o assunto principal. Seu assunto principal é sempre o ser humano! Todos os casos apresentados no livro são emocionantes, e isso só é possível por causa do foco na alma das pessoas.

Na época em que ele começou sua carreira (por volta de 1925) já se falava no problema do médico preocupado com a técnica, que esquecia o ser humano. Isto quer dizer que muitas vezes os médicos se perdem no meio de tanta informação referente a como curar as doenças, perdendo de vista o ideal de curar seres humanos. E o autor vai ainda mais longe: ele divide esta culpa com os pacientes, pois eles se conformaram em procurar um médico apenas para curar suas enfermidades.

Quando vemos alguém dizer (ou nós mesmos passamos por essa situação) que foi ao médico e ele nem olhou “na cara” do paciente, já nem nos espantamos mais. É apenas mais um caso. E olha que foi um médico “do convênio” (contradizendo o famoso bordão “eu estou pagando!”). Esse não é um médico como o Hans Killian.

Mesmo sendo leigo no assunto medicina, a abordagem humanística desta obra cativa o leitor. A narração feita com brio e humildade deixa claro que o autor tem consciência da grande responsabilidade ao ter nas mãos a vida de outras pessoas, mas não tem o poder total de curá-las, uma vez que cada caso é como uma luta do médico e o paciente contra a doença e a morte. Por isso ele descreve a sensação da sua primeira cirurgia como se estivesse sozinho, sob o olhar de Deus – daí o título da obra.

Para Hans Killian, inspirado por pensadores antigos, o médico tem que curar o corpo e a alma. A cura só acontece quando o indivíduo retoma sua posição na natureza. E para isso é necessário que o médico tenha mais que habilidades clínicas: é necessário ter habilidades humanas.

Eu gostaria que esse tipo de livro fosse leitura obrigatória nas faculdades de medicina. Assim teríamos menos médicos tão cheios de si cuidando de nós. Um pouco de humildade faria qualquer médico entender que “o médico trata, mas Deus cura”.

Comments 3

  1. Pablogb

    Elvis, meu caro. Não precisa ser médico para ter a sensibilidade que você demostra na leitura desta obra. Aliás, se este livro fosse lido por mais médicos, seria um beneficio incrível: para os médicos, para o mundo….e para os pacientes. Parabéns pela crítica. Abraço grande. Pablo

  2. Claudio billar

    Quando eu era Adolescente, achei os documentos do escritor, e lhe entreguei. Ganhei dele os livros Senha Coragem e Sob o Olhar de Deus. São maravilhosos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *